Data Visualization, Design

O que fazer com o lixo eletrônico?

Desde 2011 quando comecei a trabalhar com robótica educacional no projeto Robô Livre uma das premissas era adicionar lixo eletrônico no trabalho com os meninos. Ou seja, incentivar o processo de construir, experimentar, reconstruir com o que já existe por aí… bem no processo do faça-você-mesmo e do movimento maker.

Foi a partir deste trabalho com a robótica que surgiu a oportunidade de trabalhar em um projeto com a Fundação Joaquim Nabuco e com a Professora Lucia Xavier sobre gestão de lixo eletrônico. Esse trabalho influenciou uma série de iniciativas que fizemos em conjunto nos anos seguintes. Em 2014 nós publicamos o livro Resíduos Eletroeletrônicos na Região Metropolitana do Recife – Guia prático para um ambiente sustentável que chegou ao download número 500 nos últimos dias, o que nos deixa muito orgulhoso.

Em 2015 acabou acontecendo duas coisas muito legais. A primeira delas foi o vídeo Logística Reversa de Eletroeletrônico no Brasil, que mostra um pouco do que estávamos realizando no projeto e também informando uma série de iniciativas, leis e regras a serem seguidas com o descarte do eletroeletrônico no Brasil. Na sequência eu fui convidado para fazer uma palestra com essa temática no TEDxPortalDoSol, lá em João Pessoa, onde pude nos 20 minutos de fala, contar um pouco mais do que tinha acontecido na trajetória do projeto junto ao MIT.

Em 2014 tive a oportunidade de participar de um debate sobre lixo eletrônico na JCNews em Recife e em 2015 rolou uma entrevista na CBN de João Pessoa falando sobre esta temática:

No meio de 2016 eu e a Professora Lucia participamos de um programa na TV Universitária em Pernambuco sobre a temática do lixo eletrônico:

Esse é um trabalho que precisa continuar, ainda falta muito a ser feito para incentivar o processo de logística reversa para os eletroeletrônicos no Brasil. Temos muitos desafios ainda a serem enfrentados. Agradeço a Profa. Lucia por ter me incentivado a pesquisado pelo tema e ter contribuído da melhor maneira que pude para essa temática no pais.

Padrão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *