Data Visualization

Campus Party Recife 2015

Como anunciado no site do IFPB, esse ano eu assumo uma curadoria no Palco de Criatividade da Campus Party Recife 2015. Meu papel vai ser comandar a curadoria de Visualização de dados, como fiz em São Paulo em fevereiro. O objetivo será encontrar pesquisas e pesquisadores no NE que possam influenciar os projetos, inovações e a procura de recursos para pesquisas realizadas nessa área tão multidisciplinar que é visualização.

Até agora temos planejado 3 palestras e 1 workshop e tudo isso poderá ser visto no site da Campus Party pelo streaming durante o evento. Ainda não tem ingresso? Então corre lá no site e garante tua vaga.

 

Padrão
Data Visualization

Campus Party Brasil 2015

 

Pela primeira vez tivemos uma curadoria específica para Visualização de informação na Campus Party Brasil e esta foi coordenada por mim. Entre as palestras tivemos uma introdução por mim e pela Julia Giannella, outra do Prof. Mauro Pinheiro, uma do designer Flávio Pessoa e a última dos professores Doris Kominsky e Claudio Esperança.

Saíram duas matérias muito no Visualoop e no MundoBit.

Seguem os vídeos das palestras que contam muito mais do que aconteceu:

Padrão
Data Visualization

Visualização de informação sobre repasses do Governo Federal

Na última semana tive uma surpresa ao receber como trabalho de seminário de uma das minhas disciplinas o trabalho Repasses do Governo Federal para os Governos dos Estados acumulados em 2011, feito pelo Vinicius Alves do 1º primeiro período do curso de Webdesign da Faculdade IBGM.

dados-api-vinicius

A programação feita em Python, com a API do Google Charts e mapas. Achei muito bacana o experimento, principalmente porque ele chegou na disciplina com interesse em explorar ‘APIs de dados públicos’ e já nos primeiros exercícios conseguiu chegar num resultado interessante!

Padrão

Se você nunca viu o Jer Thorp falar no palco, esta palestra é mais que uma obrigação.  Sua fala no TEDxVancouver em novembro do ano passado fala sobre o verão de 1985, quando seu pai chegou em casa com um Mac clássico. A máquina era um programa revolucionário chamado HyperCard, que para ele (e milhares de outros), abriu uma porta para a expressividade através da programação. Jer fala sobre o trabalho pessoal, assim como mais recente no NYTimes.

Para quem não conhece, Jer é um ‘artista de software’ e educador de Vancouver, no Canadá, e atualmente vive em Nova York. Seu trabalho explora as fronteiras entre a ciência, matemática e arte usando programas de computador sob encomenda. Thorp é atualmente Artista-de-dados residente do The New York Times, o primeiro artista em residência no Interactive Telecommunications Program (ITP) da Universidade de Nova York, e editor de contribuição para a Wired do Reino Unido.